Para quem tem um comércio virtual, mensurar resultados é uma tarefa diária. Cada nova oferta merece uma conferida nos números, certo? É fato que a conversão é essencial, mas quais outras métricas do Google Analytics para e-commerce devem ser analisadas?

Para você entender melhor sobre as métricas, listamos as 10 principais e outras informações importantes para aumentar as vendas. Acompanhe!

Quais são as principais métricas do Google Analytics para e-commerce?

O importante das métricas do Google Analytics para e-commerce é que você verifique diversas delas, sempre repensando sua estratégia. Vamos às principais.

1. Usuários únicos

A ideia dessa métrica é perceber a quantidade de visitantes no seu e-commerce durante o período que você selecionou. Os usuários únicos são aqueles que estiveram apenas uma vez na página, ou seja, os que retornaram duas ou mais vezes já não entram nessa taxa.

2. Sessões

Supondo que você selecione o período de um mês no Analytics, o número de sessões corresponde a tudo o que um usuário fez no seu site de maneira ativa nesse período de tempo. Na prática, funciona assim: um cliente entrou na página de produto, depois foi ver outros e saiu do site — isso é uma sessão. 

Agora, supondo que ele abriu uma guia, olhou o produto e foi a outra guia, checar um site diferente. Por uma hora, a guia do seu site ficou estática, mas depois ele voltou a vê-la. Então, isso corresponde a duas sessões.

3. Páginas por sessão

Mede toda vez que um usuário está no seu site/e-commerce e sai de uma página para outra, no próprio e-commerce. Se em 20 minutos de sessão ele visitou quatro páginas diferentes, isso indica que ele se interessou pelo conteúdo e seguiu buscando informações. Uma única página por sessão acaba sendo um dado que mostra pouco engajamento do público.

4. Bounce rate

Também conhecida como taxa de rejeição. Das métricas do Google Analytics, essa analisa a porcentagem de pessoas que saem da sua loja virtual após navegar pela primeira página. 

É comum ter uma taxa de rejeição mais alta quando o seu endereço atrai pessoas que não são exatamente a sua buyer persona. Por isso, criar conteúdos mais relevantes é sempre um bom caminho de chamar a atenção do público certo.

5. Tempo de cada sessão

A ideia dessa métrica é entender quanto tempo os usuários permanecem no seu e-commerce. Quanto mais rápido eles entrarem e saírem, é sinal de que algumas melhorias podem ser feitas — mais fotos, mais descrições, mais conteúdo e até um carregamento de página ágil. Em contrapartida, quanto mais tempo ficarem, melhor. Vale até analisar as páginas mais visitadas para entender o sucesso da sua estratégia.

6. Abandono de carrinho

Um usuário que entra no seu site, pesquisa preços e coloca alguns itens no carrinho, mas sai do site sem finalizar a compra acaba sendo um importante indício. Você sabia que, no Brasil, a taxa de abandono ultrapassa 80%, de acordo com estudo da Atlas divulgado pelo site E-commerce Brasil? O motivo para o abandono pode ser o valor do frete, insegurança, formulários extensos, entre outros. 

Uma campanha de e-mail marketing com cupons de desconto acaba sendo um atrativo extra para esses usuários. Por isso, é fundamental ficar de olho na aba “conversões” do Google Analytics.

7. Taxa de conversão

A taxa de conversão verifica a porcentagem de todas as pessoas que visitaram a sua loja e realmente compraram — e não estranhe: no Brasil, de acordo com o mesmo estudo citado anteriormente, a média é de apenas 1,4%.

Verificar o quanto o seu e-commerce roda tranquilamente em dispositivos móveis, se oferece uma boa experiência ao usuário e se o marketing de conteúdo é bem trabalhado são fatores que conseguem trazer uma alta às conversões.

8. Regiões compradoras

Entender de qual parte do Brasil você tem mais visitas auxilia a estratégia de Google AdWords e anúncios patrocinados nas redes sociais — sem contar que você passa a entender o seu público e verificar oportunidades de expandir as vendas.

9. Origem do tráfego

Redes sociais? Google AdWords? Busca orgânica? Ao verificar como as pessoas chegam até o seu e-commerce, você pode aperfeiçoar a estratégia e até acertar as palavras-chave relacionadas ao seu negócio.

10. Principais dispositivos

Saber se seus usuários entram mais em sua loja virtual via desktop, notebook ou dispositivos mobile é fundamental para tornar o site mais responsivo, permitindo uma navegação adequada. Hoje, de cada 10 consumidores, sete compram via smartphone, de acordo com pesquisa da CNDL/SPC Brasil.

Com qual periodicidade analisar as métricas?

Você deve olhar com frequência semanal ou até mais do que isso — analisando semanas do mesmo mês e comparando com o mesmo período no ano anterior, por exemplo. Cada mês tem suas especificidades, e isso ajuda a mostrar quando é ideal fazer promoções e ofertas.

Há diversos fatores que alteram a movimentação de comércios eletrônicos: época de pagamento, décimo terceiro, datas específicas do comércio, desemprego etc. Assim, o interessante é manter uma planilha atualizada com as conversões mês a mês, tal qual as ofertas feitas nesses períodos. Dessa maneira, a interpretação é mais apurada.

Seu comércio virtual deve ser compreendido por meio de diversas métricas, como as que trouxemos, para que as campanhas sejam mais acertadas e as chances de conversão cresçam. Lembre-se que o Google Analytics para e-commerce é uma ferramenta importante para isso, e o melhor de tudo: é gratuita!

Aproveite para acompanhar mais conteúdos para aumentar sua performance na internet!